sábado, 23 de junho de 2007

Assembléia Estudantil

Data: 25/06, segunda-feira
Hora: 18h
Local: Anfiteatro "Guilhermão"
Detalhes: serão discutidos posicionamentos a serem levados para a assembléia unificada, de terça-feira.

56 comentários:

Kelli disse...

Aeww... Essa assembléia de alunos vai ser a chance de esclarecer o que ainda resta de duvidas na cabeças das pessoas... para que todos possam ir conscientes para a assembléia da terça!

Juliane disse...

A assembléia dos professores vai ser aberta???

Giovanni disse...

Qualquer assembléia é aberta!
Só que na por categoria só os integrabtes da mesma podem votar sobre qualquer deliberação.
É isso!

Thiago disse...

vai ser a mesma briga da outra assembleia

Denis disse...

AÊ!

Assembléia as 18h, ficou mais justo para os que trabalham.

J.Silva disse...

Solicito aos administradores deste blog que investiguem o boato que diz que em Julho não se pode haver aula, e que, depois, publiquem neste mesmo espaço a verdade, para por fim às especulações sobre o referido tema.

GABRIEL RUIZ disse...

Só uma coisa. Só quero ver quantos contrários a greve comparecerão.

GABRIEL RUIZ disse...

Sobre julho não ter aula. Ao Bulhões pelego.

Conversando com o Ângelo, ele me explicou esta questão, assim como o prof. Clodoaldo. O que acontece é que tradicionalmente quando ocorrem greve na Unesp não é de costume repor aulas neste mês. Isso porque, além dos estudantes, vários docentes já estão com viagens e compromissos marcados. O que eles afirmaram é que há reposição na primeira semana de julho e estourando, "com muita boa vontade" (clodoaldo) na segunda semana.

bl?
abraço

J.Silva disse...

PELEGO O CARALHO, PORRA, GABRIEL, SEU REVOLUCIONARIOZINHO DE ARAQUE, EU VOTO NO SERRA MESMO

Julia disse...

Certamente não irão muitos contrários à greve... talvez nenhum. Eu, por exemplo, não irei. Minha intenção e a da maioria dos meus "companheiros" que apareceram na última assembléia para votarmos contra a greve é pura e simplesmente retomar nossas atividades acadêmicas o mais rápido possível. Por isso nenhum de nós pediu a palavra. Por isso a maioria de nós se retirou quando a continuidade da greve venceu. Nosso objetivo era e é claríssimo. Nós não queremos discutir, queremos apenas estudar. Só isso.
Sobre a reposição das aulas, um amigo meu da FEB conversou com o professor Luiz Daré durante a assembléia e ele disse que a reposição das aulas será em julho.

J.Silva disse...

Nós não queremos discutir, queremos apenas estudar.

É claro que toda posição tem que ser respeitada, mas acho lamentável termos estudantes de universidade pública com uma mentalidade desse tipo.

Kelli disse...

Concordo com o bulhões... hauahua não com a parte que ele diz que vota nu serra com o ultimo comentário!
hauahuahaua

Kelli disse...

Galeraa... Gostaria de saber c alguma possibilidade dos professores trairem o movimento unificado ai nessa assembléia só de docentes amanha...??
creio q decisoes como a saída da greve só devem ser tomadas na assembleia unificada neh?

J.Silva disse...

Não necessariamente. Os professores representam uma categoria específica e possuem autonomia para se mobilizarem por meio de assembléias unificadas ou não.

Kelli disse...

Ta... eu sei que vc tem razão!
Mas isso pra mim seria traiçãooo!!

Kelli disse...

Bulhões c ta aki em rio claro? c tem ido na UNESP daki?

Thiago disse...

viva agora o bate papo pessoal...onde vc esta? em rio claro? vai de carona?

eu enteno...isso é o movimento estudantil...se movimentando entre cidade hehehe

J.Silva disse...

to em rio claro mas nao tenho ido a ocupacao da unesp nao. Voce tem?

Lud R. disse...

Bom, gente, é o seguinte:

A assembléia dos professores não pode ser fechada, mas eles pedem para que não haja manifestações durante a assembléia deles, no sentido de que irão tirar um posicionamento e não conseguirão discuir o suficiente se forem interrompidos. O ideal é que se tenha representação estudantil para que saibamos o que estão argumentando, para que com isso tenhamos conhecimento sobre seus motivos para uma ou outra decisão.

As assembléias separadas, tanto de docentes, quanto a nossa não tem poder deliberativo, vão ocorrer para se ter indicativos somente.

Nossa assembléia será, como costuma ser as assembléias de estudantes, às 18h repeitando quem trabalha. A geral vem sendo às 14h, pois isso foi acordado em assembléia, por maioria de votos.

Importante ressaltar que não se trata de traição, vamos parar com essa mania de perseguição! O que acontece é que temos que analisar os fatos, a realidade, e daí pensar nas melhores formas de atuação, as mais eficazes, o que pode implicar na saída dos professores mesmo.

Kelli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kelli disse...

Nãoo seguinte o que eu falei de traição era se os professores decidissem sair da greve nessa assembleia... pq eu entendo que essa decisão só cabe a assembleia unificada... n sou contra o fato de que eles tenham a assembleia deles e tirem indicativos (mesmo q seja de saida da greve) é um direito deles... mas sair ou não da greve deve ser decidido na assembleia UNIFICADA eh isso q eu kero dizer....

Bulhões não tenho ido não! Vamos la amanhã?

airjohnny disse...

Eu acho que os professores tem todo o direito de sair da greve em sua assembléia.

Kelli disse...

Sim eles tem todo o direito de sair da greve... Mas o movimento está unificado... que esta proposta seja colocada na assembléia unificada então. Entendo a situação dos professores principalmente em Bauru... mas abandonar o movimento unificado não seria a melhor atitude!

airjohnny disse...

A decisao de continuar as deliberações em assembleia unificada não deve ser votada na assembléa unificada mas sim nas assembleias proprias.

Por que, caso contrário, aluno poderia decidir pelos professores, entende?

Kelli disse...

Eu entendo... não disse que os professores não tem direito de fazer isso... só disse que eu reprovo a atitude... afinal de contas quando era interessante eles unificaram o movimento estudantil e de docentes... agora creio q isso deve continuar pelo menos até dia 30, como decidido na ultima assembléia... Bom quero ressaltar que entendo perfeitamente a situação complicado que os professores estão...

ps: Estamos apenas supondo o que pode acontecer... vamos esperar segunda pra ver o que eles vão decidir!

Vanessa Russell disse...

É realmente triste que não se queira discutir, apenas estudar!
O que é estudar?!?!?
Sentar na cadeira, ouvir o que o professor fala, ler uns textos, entregar trabalhos e fazer provas??
Oras... estudar é necessariamente discutir... a discussão é o momento onde vc reve os seus posicionamentos e repensa nos que estão sendo passados.
"Mas no meu curso não é necessário discussão..."
Em todos os cursos as discussões podem ser realizadas, ainda que seja com números... Discutir não é "brigar", é a argumentação sobre determinado assunto...
Não discutir é empobrecer....
A faculdade vem mesmo passando por um processo de empobrecimento, mas seria bem melhor se este fosse apenas financeiro, não fizesse parte do seu corpo docente e discente!!!
É isso!!

Fabinho disse...

Um comentário em relação à reposição de aula em julho...

...reposição na primeira semana de julho?!!!...deixa tudo pra janeiro...seria uma semana pra nada...na minha opinião...

Contra A disse...

Eu poderia dizer o inverso. É realmente triste quando não se queira estudar, apenas discutir.

E a faculdade vem passando sim por um empobrecimento intelectual. Entretanto o movimento estudantil padece mais ainda deste mal.

Façam uma análise fria e calculista do que está acontecendo:

Influenciados por uma ocupação partidária na USP, alunos de uma universidade pública a 400km de distância iniciam uma greve. A despeito da maioria dos estudantes que é contra, esta minoria com pensamentos tendentes a esquerda resolve deliberar, a revelia da lei, atos contraventores como barrar carros e arrancar carteiras.
Prossegue neste monólogo até o dia em que, do nada, surgem antagonistas em uma assembléia cômica:

Posicionamento parcial da mesa que alí estava;
Desrespeito de ambas as partes;
Discursos voltados apenas a um lado do palco (literalmente);
Contagem de votos arcaica;
Horário absolutamente impróprio;

Que culmina com a vitória dos grevistas, quase que todos de uma das 3 faculdades do câmpus, por uma margem muito mais apertada do que as anteriores. E um anúncio acompanhado de um sorriso da mesária que não se preocupou em esconder sua felicidade.

Aproveitando-se da saída dos contrários, a greveiros resolveram impossibilitar o voto de saída da greve nesta próxima assembléia, porque sabiam que o movimento perderia mais apoio ainda. A usp foi desocupada, araraquara idem. A opinião pública começa a se manifestar contundentemente contra o movimento estudantil.

Alguém resolve fazer um "flashmob".
Atrapalhando o trânsito, para variar. Ignoram as ofensas que a população vocifera durante o protesto, e persistem. Cabe lembrar, uma quantia irrisória de pessoas.

E as conquistas do movimento?
Zero. Moradia já prometida antes, que será cozinhada em banho maria até o dia que o reitor quiser. RU ? nenhum. Decretos, o principal pilar do protesto? Continuam lá.

A despeito da multidão contrária, a despeito da conhecida ineficácia paliativa de greve, a despeito do desgaste que os de fora passam, a greve continua.

Eu nem direi "eu sei que isso não vai dar em nada", porque até mesmo vocês sabem. As migalhas que ganharão, e que vocês logo se preocupação em tornar faraônicas por meio dos discursos piegas e sentimentalistas, não valeram este inconveniente da greve.

Mas conseguiram algo: um ódio brutal entre FEB e FAAC que, se sempre houve, nunca foi tão selvagem quanto é agora.

Thiago disse...

contra a

disse tudo cara.

Kelli disse...

Contra a... para antes que fikei feio! c ja perdeu completamente a noção de argumentos aceitáveis em seus comentários!

Kelli disse...

Só pra esclarecer um lance nessa historia do horario da assembleia que tanto vem gerando polêmica!! os alunos em uma das últimas assembleias unificadas (antes da semana passada) fizeram a proposta para que a assembleia fosse as 18 h pelos mesmo motivos que os anti-greve tanto estão reclamando... mas a proposta não foi aceita ja que fikaria inviavel para professores e funcionários uma assembleia nesse horário!

Contra A disse...

"CineDesOkupa" apresenta:
Um vídeo deveras engraçado, da comédia que é o movimento grevista.

De 2005. Os alunos da FFLCH (para quem não sabe, é a FAAC da USP), iniciam um protesto exigindo a eleição DIRETA para REITOR da USP.

Os fatos se desenrolam, e, entre um
"ato válido de desobediência civil", aonde os fefelechianos jogam futebol e fazem churrasco enquanto ocupam uma das avenidas da cidade universitária, e alguns grevistas profissionais do SINTUSP (representando os funcionários grevistas) enchem os sacos dos pobres alunos "alienados e reacionários" da Politécnica (A FEB da USP), pelo crime inafiançável de quererem ter aulas.

LINK PARA O VÍDEO

Qualquer semelhança com a realidade de Bauru é mera coincidência.

Eu acho realmente curiosa, pessoalmente falando, a quantidade de universitários revolucionários que gostam de cultivar barbas e se vestirem como mendigos. É algum tipo de código de conduta? Porque muitas meninas revolucionárias se parecem com a Mafalda do Quino, e muitos camaradas da revolução lembram uma simbiose entre um integrante do Los Hermanos e um andarilho tipo homem do saco?

Também aproveito pra comentar o espírito grevista de festa. Tanto na FFLCH, aonde grevistas fazem sua desobediência civil com um churrasquinho e uma peladinha, tanto pra reitoria da USP, aonde todos passaram dois meses bebendo, fazendo festa junina e depredando o patrimônio público, e, por fim, não menos importante, o povo de Bauru fazendo festa na tal "sala 54", lugar que eu acho que nem exista nessa universidade.

Chega de festinha. Pela volta imediata as aulas.

Renata disse...

Contra a,
vc diz que não é a favor de greve, mas sim de outros tipos de manifestações pacíficas, enfim..
eu gostaria de saber qual a sua sugestão de ato, manifestação ou sei lá oq, visando conseguir um laboratório pro pessoal de biologia, RU, moradia etc.

Marcos disse...

Contra a:

Respeito sua opinião.
Mas, quem quer greve, não quer só discutir, quer também estudar. Tanto que favoráveis a greve estão dispostos a ter aula, entregar trabalhos até mesmo nas férias. O que parece não ser o caso dos anti-greve.
Se os que votaram contra a greve se mantivessem na assembléia depois de anunciarem a continuidade da greve, seria aprovada facilmente uma nova assembléia ainda na semana passada, o que animaria mais os contrários a greve e provavelmente seria o fim da greve.
Então, vai dizer que a culpa da greve ter continuado é culpa dos favoráveis a greve que pertencem, em sua maioria, a uma única faculdade do campus, ou a culpa é dos contrários, que pertencem, em sua maioria, a outra faculdade do campus e deixaram a assembléia antes do final?
Mesmo assim, achei muito boa a atitude dos contrários a greve ao invés de só ficarem reclamando irem lá na assembléia votar.
E é realmente lamentável o ponto em que chegou a rixa entre FAAC e FEB. Mas, pelos comentários existentes nesse blog, antes da moderação, vocês podem tirar uma conclusão de quem baixou o nível e fez essa rixa aumentar.
Na assembléia, os dois lados tiveram uma postura lamentável. Mas, professores de qual faculdade bateram boca com alunos de outra?
Talvez por eu ser da "faculdade dos favoráveis a greve", tenha uma visão parcial, vejo que quem colocou mais lenha na fogueira nessa rixa não foram os da FAAC, mas, posso até estar enganado.
Abraço,
Marcos Andrade. 3o termo de Jornalismo Diurno.

Juliane disse...

Ai Contra a...

...não costumo levar divergências políticas e acadêmicas para o lado pessoal...

...c vc estah com ódio brutal de alguém...fale por vc mesmo...eu estou de boa com a FEB, FC, FAAC...nada a ver...outra viagem sua...menos sentimentalismo...não faça desta discussão uma comédia dantesca...

...ah em um dos seu comentários...vc afirma duas coisas q naum consigo entender...
vc não foi na assembléia...mas mesmo assim conseguiu captar o sorriso da menina da mesa...

aí é algum poder paranormal???caracas, q dah hora...

e outra coisa...vc tb diz que se outras pessoas que não fossem da facu tivessem votado na assembléia, o bicho ia pegar...peraí...

o bicho vai pegar...é previsto em lei???

Alberto disse...

Contra,
Você disse para fazermos uma análise fria e calculista do movimento. O problema é que isso é impossível (estudamos isso bastante no curso de jornalismo), prova disso é que a sua análise foi totalmente parcial.

Deliberamos o início da greve em uma assembléia com 600 pessoas. Aí você diz que a Unesp Bauru tem 4500 alunos, mas todos sabem que é impossível o comparecimento de todos a uma assembléia e que essa quantia de alunos é considerável. Com relação aos atos contraventores, foram os estudantes que participaram da greve que os deliberaram. Houve divulgação das assembléias, do movimento...se a maioria do pessoal resolveu ir para casa pode ser culpa nossa ou não. Se vocês têm boas idéias para divulgar melhor as assembléias ou chamar pessoas para discutir esse tipo de coisa, estamos abertos a sugestões.

Com relação à mesa da assembléia, é óbvio que ela é parcial – todos os participantes da mesa estão no movimento grevista e têm experiência em participarem de mesas. Enquanto mesa, todos os participantes foram exemplares: deixaram todos os inscritos falarem e avisaram a todos quando o tempo de fala estava se encerrando. Se algum contrário quisesse entrar na mesa, deveria dizer isso no início da assembléia (o que não foi feito). Ah...e com relação ao horário parece que você não entende mesmo, já disse pelo menos umas duas vezes que por se tratar de uma assembléia unificada, são as categorias que decidem o horário. Como tem 2 categorias a favor das 14h e uma contra, foi esse o horário vitorioso.

Saiba do que você está falando: você disse que os grevistas impossibilitaram propor o fim da greve. Errado: o assunto não está na pauta, mas se você quiser propor o fim da greve na assembléia de terça, você pode fazer isso.

O flash-mob foi uma demonstração de força e organização dos estudantes que pararam as principais ruas de todo o estado por 5 minutos. Cento e vinte pessoas para essa manifestação não é uma quantia irrisória. Tente juntar 120 pessoas para fazer uma manifestação do mesmo tipo.

As conquistas do movimento serão discutidas na assembléia de hoje. Mesmo sabendo que você não vai, convido-te para tirar suas próprias conclusões lá, discutindo.

Se o “ódio brutal” entre FEB e FAAC aumentou eu não sei; só sei que na última assembléia conseguimos convencer alguns engenheiros da importância da greve (eles inclusive participaram do flash-mob).

Marilia disse...

Olá Contra a!!
Eu não Ri porque estava feliz antes de anunciar o resultado eu Ri de nervoso..pois não queria que a assembléia se tornasse uma pancadaria( pode perguntar aprofessora nilma que estava ao meu lado).É só isso, não fui tendenciosa. caso vc não saiba eu me retirei da mesa uma hora pois a minha pressão estava baixa, de tanto nervoso Vc nunca riu de nervoso? Duvido!!

Marilia disse...

caro Contra "a".
Eu não ri antes de dar o resultado de felicidade, apenas de nervoso se o resultado fosse contrário riria do mesmo jeito. Ou vc nunca riu de nervoso?? Dúvido!1
baixou minha pressão e eu me retirei uns 2 minutos da mesa. As circunstãncias eram complicadas. Porém acredito que se vc tivesse no meu lugar não teria feito melhor, não aguentaria calmamente as provocações perderia o rumo. Vc não estava lá não sabe o quanto foi difícil!!
Abraços

Contra A disse...

...c vc estah com ódio brutal de alguém...fale por vc mesmo...eu estou de boa com a FEB, FC, FAAC...nada a ver...outra viagem sua...menos sentimentalismo...não faça desta discussão uma comédia dantesca...

Não estou com ódio de ninguém, moça.
Não acho que seja pra tanto. Não sou simpático as idéias de vocês, e apenas isso.

...ah em um dos seu comentários...vc afirma duas coisas q naum consigo entender...
vc não foi na assembléia...mas mesmo assim conseguiu captar o sorriso da menina da mesa...


Alguém havia comentado isso aqui no próprio blog, e eu confirmei com amigos que estavam presentes na assembléia. Mas, se a colega disse que riu de nervoso, então, sem mais argumentos. Não foi de propósito.

aí é algum poder paranormal???caracas, q dah hora...

Ao que me parece, quem tem ódio de mim é você. Leia os demais comentários, de todos os posts. Se informe mais antes de ligar a maquininha de falar besteira.

e outra coisa...vc tb diz que se outras pessoas que não fossem da facu tivessem votado na assembléia, o bicho ia pegar...peraí...
Disse, e vai. Assim que eu conseguir provas de quem era o rapaz. Não sou leviano de acusar ninguém sem provas irrefutáveis.

Contra A disse...

Deliberamos o início da greve em uma assembléia com 600 pessoas. Aí você diz que a Unesp Bauru tem 4500 alunos, mas todos sabem que é impossível o comparecimento de todos a uma assembléia e que essa quantia de alunos é considerável.

O problema não foi o início dela. Foi a manutenção. No início todo movimento de paralização é forte. Mas, ninguém sabe a hora de parar.

Com relação aos atos contraventores, foram os estudantes que participaram da greve que os deliberaram.

Minha opinião sobre isso já foi exposta, a exaustão, até. Quer paralizar paralize, mas, sem infringir a lei. Discordo veementemente, acho radicalismo, e, para mim, quem não tem a força do argumento usa o argumento da força.
Ocupação, impedimento de trânsito, vilipêndio as carteiras, tudo isso é a prova de que tem algo de muito errado com a moral de alguns universitários grevistas. PENSO EU.

Se vocês têm boas idéias para divulgar melhor as assembléias ou chamar pessoas para discutir esse tipo de coisa, estamos abertos a sugestões.

Primeiro de tudo, primordial. Sejam mais radicais e mostrem uma imagem acolhedora. Todos tem medo de vocês. Acham radicais.

Com relação à mesa da assembléia, é óbvio que ela é parcial – todos os participantes da mesa estão no movimento grevista e têm experiência em participarem de mesas.
Que seja parcial, fora dali. A impressão de amigos que foram, é que não foi assim. Como eu não fui, fica o dito pelo não dito. Contudo, seria salutar uma elaboração de uma nova mesa, no futuro.

já disse pelo menos umas duas vezes que por se tratar de uma assembléia unificada, são as categorias que decidem o horário. Como tem 2 categorias a favor das 14h e uma contra, foi esse o horário vitorioso.
Na hora de votar a greve, as coisas são assim também? Não me pareceram assim.

Saiba do que você está falando: você disse que os grevistas impossibilitaram propor o fim da greve. Errado: o assunto não está na pauta, mas se você quiser propor o fim da greve na assembléia de terça, você pode fazer isso.

Duas horas novamente? Sem chance.
Mas, se alguma boa alma puder ser avisada disso...

O flash-mob foi uma demonstração de força e organização dos estudantes que pararam as principais ruas de todo o estado por 5 minutos. Cento e vinte pessoas para essa manifestação não é uma quantia irrisória. Tente juntar 120 pessoas para fazer uma manifestação do mesmo tipo.

Para que, contra que? Contra a greve? Bah. Flashmob não resolve nem nunca resolveu nada. É uma forma cult de parar o trânsito.

As conquistas do movimento serão discutidas na assembléia de hoje. Mesmo sabendo que você não vai, convido-te para tirar suas próprias conclusões lá, discutindo.

Eu sei a que conclusão vocês chegarão. Aposto que irão arrumar conquistas tirando-as do chapéu.
O bem da verdade é que lá continuam os decretos, firmes e fortes.

Contra A disse...

Pra moça que riu de nervoso:

Bom, tudo bem. Não serei eu quem contradirei a própria em questão, sendo que nem estava lá.

Agora, já acho algo meio fantasioso pensar em uma pancadaria generalizada. Falo por mim. Não gosto da greve, não gosto da opinião dos grevistas, acho ofensivo a falta de respeito que alguns possuem por mim, como no dia em que me disseram "te falta sexo e esporte", mas, nada que chegue no grau das "vias de fato".

E nem acho que ninguém da FEB pense assim.

E outra: Nenhuma das falas que houveram aqui, induziram-me a pensar que a assembléia poderia acabar em pancadaria... Isso realmente procede ?

Greve é Ferias disse...

Até parece que alguém está levando essa greve a sério. Usp e Unicamp já pularam fora, com ou sem decretos, pouco ligando pras conquistas das outras categorias.

Bauru, então, é a mais iludida. Perdem força dia a dia, além d credibilidade, por conta de farras e brigas internas.
Insistem numa greve sem futuro, decerto acreditando que o governo prestará muita atenção no que acontece por aqui.

Dizem, mas se a greve acabar agora, terá sido tudo em vão?
Respondam então, há boas perspectivas em continuar por mais um mês? Se não conseguiram nada até agora, o que faz pensar que essa greve pouco preocupante ao governo irá mudar algo em mais um mês?
Claro que não. Estamos dando murro em ponta de faca, quando deveríamos estar pensando em outras formas de chamar a atenção da mídia e do governo. Quantos campi ainda tem alguma força? Araraquara foi "expurgada" e a mídia ainda ficou claramente a favor da decisão de usar a PM. Botucatu mal notou a greve. Rio Preto já está de volta. Franca tem meia dúzia de ocupados, e o resto tem aula normal. Cadê Jaboticabal, Guaratinguetá, Ilha Solteira, etc etc?

Todas as reivindicações são genuínas e de suma importancia à universidade e devem ser defendidas incansavelmente, mas, claramente, o movimento não está levando a nada e está fadado ao fracasso.
Por que não utilizar então as assembléias como um espaço para discussão de outras formas de reivindicações, que não atrasem o ano de ninguém?

Tanto que favoráveis a greve estão dispostos a ter aula, entregar trabalhos até mesmo nas férias.
Que férias?????

Chega dessa greve que perdeu o sentido. Expandam seus horizontes!

Juliane disse...

...abrindo a maquininha de falar besteira...

Hummmm...o bicho vai pegar, mas, ao mesmo tempo, vc não está com ódio de ninguém...acho que tem alguém aqui que está confuso...

...queridinho, não tenho ódio de vc, na verdade...o entendo...

...pois, afinal, como alguém que nada faz, a não ser criticar e pautar parte de suas falas na fala de amigos...pode falar algo concreto...

...se conselho fosse bom a gente não dava, vendia...certo???

...mas para mostrar que sou legal e que estou em missão de paz...vou te dar um conselho...

dá próxima vez que for falar algo do movimento, como das assembléias, ou então das mobilização...dá uma passadinha ao menos...fale com propriedade...não fique no diz que me disse...pode ser perigoso...e então vc pode acabar se enrolando todo...sabe há muitos boatos!!!investigue melhor as suas fontes...

mas, olha vc ainda não me mostrou qual é o documento que comprova...que o bicho vai pegar está previsto em lei...ou será que vc jogou mais uma das suas acusações com bases no palavrório alheio...vixi, mais um engano...eh melhor deixar pra lá...pra não ficar feio...afinal, nem lah vc estava....

...fechando a maquininha de falar besteira...beijinhos...

Marilia disse...

Olá quero falar para os que dizem que agreve não adinata nada:
Já que vcs querem números vamos a eles:
1. em 1970 os alunos da USp oucuparam a diretoria da faculdade e conseguiram a contrução do bloco de moradia o CRUSP.
2. Em 2003 no campus de bauru alunos oucuparam salas de aula e conseguiram derrubar a proibição para a construção do bloco de moradia estudantil no campus. Ou seja, a moradia só está "prometida" por causa desta movimentação! acontece que os processo é lento!! e não é assim de um dia para o outro que se resolvem as coisas.
3. em 2004 uma greve dos tres seguimentos das tres estaduais paulistas, conseguiu mobilizar a assembléia legislativa do estado de são paulo com cerca de 200 deputados. Esses vortaram pelo aumento do repasse do ICMS PARA AS TRES UNIVERSIDADES PAULISTAS!!1 Isso significaria 1 bilhão a mais para cada.
4. em 2005 alunos da unesp de marília oucuparem o prédio da diretoria onseguiram a contrução do restaurante universitário.
5. em 2007 a oucupação da Usp consegue entre muitas coisas a contrução de mais 140 vagas na moradia, ônibus nos campis aos finais de semana.
6 Os estudantes do campus de franca tem 80% de sua pauta atendida com a oucupação em 2007
7 BAURU- promessa não é compromisso! o Reitor em 2003 prometeu contruir a moradia e não o fez, esse ano eles dise que as licitações para as obras sairão em agosto. Isso é conquista
8. o Fòrum das seis ( entidade que reúne os tres segimentos das tres universidades ) está para aprovar uma proposta que irá aumentar em 2% a verba para assistência estudantil isso é muito... tratando que lidamos com 43 bilhões de reais.
É cedò ainda Para dizer os benefícios de uma mobilização que ainda não acabou!!! Mais apontamos para vitórias sim.
aguardem.. e não argumentem sem antes saber da verdade.

Thiago disse...

Marcos,

Soh pra te informar, na engenharia nao tem esta de entregar trabalhinho nas ferias nao...la a getne tem que estudar e fazer prova mesmo...por isso estamos contra a greve e querendo estudar, pq depois em dezembro e janeiro quem mais se ferra é a gente.

Giovanni disse...

Se houveram provocações pelo lado dos contra e dos a favor da continuidade da greve, como podemos saber qual seria o resultado disso!?
De minha parte, mantive a coerência, não comemorei vitória por a greve ter continuado e pedi aos gritos para que as outras pessoas, que naquele momento após a votação, comemoravam, para que olhassem para a frente e deixassem a assembléia prosseguir. Alguns atenderam aos pedidos, mas outros não. Quem sou eu para controlar as pessoas dessa maneira!? Só tentei colaborar para que mantivéssemos a calma. Mas também acredito que não haveria um confronto físico. Discussão, xingamento, houve de ambos os lados, mas isso acontece sempre que o clima criado em torno da assembléia é tenso.
Enquanto eu falava dentro dos três minutos que me foram concedidos, ouvi aplausos e vaias, mas ao final pedi apenas que me ouvissem, independente da manifestação. Essa é a coerência, que, como um membro do Comando de Greve, venho me responsabilizando por fazer e mostrar a todos, contra ou a favor, que, sim, falamos e votamos em uma verdadeira democracia.
Contra, se você souber a hora de parar, porque não entende então que existe também o momento de continuar e de começar. E de que quando começamos não estávamos entrando porque a USP estava ocupada. Em momento algum isso foi motivo para greve estudantil, entramos em greve pela revogação dos decretos, por mais verbas para a universidade pública e as pautas específicas do Campus. A USP, pelas devidas proporções que teve em torno da mídia e das atitudes do movimento de ocupação, nos ajudou para termos também um respaldo da força do movimento. Mas isso também não quer dizer que por eles terem desocupado a reitoria o movimento se enfraqueceu. Muito pelo contrário. Contra a repressão em Araraquara e em qualquer outro campus continuamos mobilizados, além, é claro, da manutenção da nossa pauta anterior. E continuamos em greve porque ainda não consideramos atendidas as nossas reinvidicações. As negociações com o reitor continuam, inclusive hoje, em Marília. Não sairemos de mãos abanando.
E, em relação aos professores deliberarem por saírem da greve em sua assembléia, na verdade eles só podem colocar um indicativo. O que provavelmente farão é colocar o indicativo de votar em separado, como na última assembléia unificada. Se a assembléia unificada decidir não fazer a votação em separado, as deliberações só poderão ser feitas exatamente como na semana passada, com todos juntos. Caso a assembléia decida que se vote em separado, as deliberações aí sim, poderão ser feitas por categoria.

Gustavo disse...

"Flashmob: É uma forma cult de parar o trânsito."

Vou contribuir no Wikipedia!

"CONTRA A" entro no blog só pra ler seus posts...

GABRIEL RUIZ disse...

Julia,

agora entendi o que já se podia prever. Logo as atividades retomam, aí não teremos mais discussões, nem assembléias, nem política, nada. Aí, é só seguir em frente, indiferente e despolitizado.

um abraço

GABRIEL RUIZ disse...

Contra a,

se vc enxerga o movimento desta maneira, integre-o para melhorar; criticar de longe, sem saber o que acontece no centro dele é muito fácil. Agora, viver esta realidade, é outra coisa.

E quem foi que disse que só querem discutir. Uma das principais reivindicações dos estudantes de Bauru é a melhoria das condições laboratoriais para que possamos ESTUDAR E APRENDER DECENTEMENTE.

E vejo que é um exímio calculista. A conta então do "score" final de todo esse movimento foi zero. Quanto absurdo. O que tenta-se fazer é acordar e desacomodar; estamos agindo de modo a não ficar indiferentes à todo este absurdo que vem sendo construído. O foda é que aí a gente observa que existem pessoas que só vão sugar a universidade, sem fazê-la (ou tentar ao menos) crescer, acrescentar algo. Enfim, parece que só estão cá atrás de um pedaço de papel (diploma) que é importantíssimo para a formação de suas futuras famílias e o meio para sobreviverem.

Então, qual o papel das favoráveis à greve? Dificultar esses objetivos. Que ótima conclusão.

J.Silva disse...

Insisto em convidar o "contra a" para que participe dos Grupos de Discussão e exponha seu ponto de vista a respeito do movimento estudantil.

E aí "contra a"?

Denis disse...

Vc continua a usar nome FEB, mas amigos meus da FEB não querem ser defendidos por você!

É você quem fala por você mesmo!

Há muito tempo que não a maior união entre alunos para correr atrás de problemas que afligem os estudantes, fazia tempo estavam insatisfeitos e só agora nos mexemos. Os acomodados sim, querem fim a isso, vamo voltar a nossa vidinha medíocre que amanhã tenho que orgulhar meu pai com meu boletim!
Em resultados concretos acredito que o seu Serra vai ficar na dele até o fim do mandato, o porém é que mimado como é nada mais vai fazer pela educação para dar o troco - É o que EU penso (não a faac ou a FC), mas vai saber!

Contra A disse...

Já disse que eu gosto de você, "garota reticências"? Sério, eu gosto. Gosto o jeito que eu lhe incomodo. Gosto da pulga atrás da orelha que lhe coloco.

O "bicho vai pegar" é igual a "ódio", no seu dialeto comunista? No português, não é. Bicho vai pegar, é a informação de que, assim que eu obtiver nome e provas de quem e como estava lá, eu as lançarei. Simplesmente porque não quero cometer leviandades. Isso entra na sua cacholinha, "reticent girl"?

Não invente um ódio meu que não há.
Apesar de que você gostaria disso.

...pois, afinal, como alguém que nada faz, a não ser criticar e pautar parte de suas falas na fala de amigos...pode falar algo concreto...

Fui um dos primeiros a escrever contra a greve aqui. Não me pauto nas palavras de ninguém.

E, dependendo do sentido que você quis atribuir a esta frase, poderia chamar de "amigos da garota reticências", Fidel, Stalin, Pol Pot, Mao, Marilena Chaui e qualquer outro comunistólogo?

Cada um usa seu evangelho apócrifo da maneira que quer.

...se conselho fosse bom a gente não dava, vendia...certo???

Tsc Tsc... isso é neoliberal demais para estar nas linhas da incrível garota reticências. Diga "Se conselho fosse bom, nós o estatizaríamos (existe tal palavra?), para depois distribuir a todos os nossos camaradas da causa operária. E mesmo se ele não for bom, nós estatizamos do mesmo jeito.
Abaixo os conselhos neoliberais assassinos !

dá próxima vez que for falar algo do movimento, como das assembléias, ou então das mobilização...dá uma passadinha ao menos...fale com propriedade...não fique no diz que me disse...pode ser perigoso...e então vc pode acabar se enrolando todo...sabe há muitos boatos!!!investigue melhor as suas fontes...

... Eu falei... com 6 pessoas... 3 da FEB... Duas da FAAC... Um professor... Investiguei... muito... antes... de... falar... alguma... coisa...

Inclusive falei com pessoal A FAVOR da greve. Foi por isso que não tomei posição a favor da professora que bradou contra. Isso você leu, RG?

mas, olha vc ainda não me mostrou qual é o documento que comprova...que o bicho vai pegar está previsto em lei...

Se houve algum estudante que votou e não deveria ter votado, a assembléia poderia ser anulada. Você sabe disso. É óbvio. Só está tentando me desqualificar, RG.

será que vc jogou mais uma das suas acusações com bases no palavrório alheio...vixi, mais um engano...eh melhor deixar pra lá...pra não ficar feio...afinal, nem lah vc estava....

Sim... não estava... Mas talvez porque estivesse trabalhando? Tavez alguém tenha que pagar os impostos pra sustentar a luz, a descarga do banheiro, o som, a limpeza...

Beijinhos também, Garota Reticências. Você não gosta de mim, mas eu gosto de você.

Contra A disse...

Marília, discordo.

Você não sabe claramente se as atitudes foram tomadas pela pressão dos estudantes ou dos professores.

E ainda acho perigoso coisas como "prometeu", "está para votar". Quando vier, digam. Não veio, não usem como argumento.

E também faça uma pesquisa de quantas greves deram errado, não deram nenhum louro a seus participantes, ou quase nenhum.

E outra, importante também. Vocês tem a tendência, penso eu, de aumentar E MUITO a importância, de como diz o gazzaga, dos "decretos assinados em folha de bananeira", só para saírem de "cabeça erguida".

Seguindo a lógica de vocês, seuindo o que defendem, vocês devem seguir esta greve até a retirada dos decretos, ou, a meu ver, vocês perdem. E FEIO. Não adianta pedir uma pizza, ganhar um amendoim e sair gritando que comeu caviar.

Quanto o que o giovanni disse, penso eu que ele está certo. Não quanto as suas opiniões sobre a greve, mas sim sobre haver um respeito pelas pessoas que estão lá falando.

Mas, grifo isso: Vaiar quando não gostou? Acho errado, mas, se quiser, faça-o depois da fala. DURANTE, acho inaceitável.

Contudo, aproveito para comentar que, professora que faz discurso voltado a um lado só do palco, para mim, é tão "mal educada" quanto alguém que vaia durante uma fala.
Ou endossa que as idéias são tão ruins, que ninguém do lado contrário quer ouvir, ou, mostra um medo muito grande de um enfrentamento direto ou uma manifestação de reprova.

"Flashmob: É uma forma cult de parar o trânsito."

Exagero meu. Foi brincadeira.
Mas, comento sobre: A maioria absoluta dos flash mobs que conheço, foram feitos rapidamente, em segundos; daí a referência da palavra "flash".

Me parece que vocês ficaram 5 minutos... Not So Flash Mob. Turtle Mob.

Um também que uns davam almofadadas nos outros. Poderiam fazer assim: Próxima assembléia, cada lado "FEB VS FAAC", traz seu travesseiro de casa. Qualquer desavença, usem as almofadas.

agora entendi o que já se podia prever. Logo as atividades retomam, aí não teremos mais discussões, nem assembléias, nem política, nada. Aí, é só seguir em frente, indiferente e despolitizado.

Bem vinda ao brasil, moça.
Mas, tentem passar nas classes depois, passando uma folhinha anônima e perguntando: Como você se sentiu durante a greve? O que você sugere para a próxima?

Aí, fazem tal qual as meninas fazem com os papéis de carta quando adolescentes. Envelopam tudo numa pasta, e leiam na próxima assembléia. Vai haver um monte de ofensas, mas, estas vocês jogam fora.

Depois, sejam mais simpáticos e menos "sou contra o sistema". Você não deve sair com um cara se ele não for simpático no primeiro encontro.

Contra A disse...

se vc enxerga o movimento desta maneira, integre-o para melhorar; criticar de longe, sem saber o que acontece no centro dele é muito fácil. Agora, viver esta realidade, é outra coisa.

Sou estudante, faço parte dele compulsóriamente. E, seja justo comigo, não sou um alienado que não sabe nem do que está falando.
Se eu não gosto de samba, eu não vou num pagode querer tocar Massacration.

Não compartilho do viés ideológico de vocês, portanto, não quero participar do grupo de vocês. É minha posição, eu respeito a de vocês (brado contra, porém respeito), respeitem a minha.

E quem foi que disse que só querem discutir. Uma das principais reivindicações dos estudantes de Bauru é a melhoria das condições laboratoriais para que possamos ESTUDAR E APRENDER DECENTEMENTE.

Não vou dirigir este comentário a ninguém, mas, é preciso, e todos sabem disso.

Nós temos um sem número de estudantes vagabundos nesta universidade, que só aproveitam pra fazer festa, fumar maconha no Forte Apache, não dão a mínima para a aula. Alguns eu conheço e convivo. E sei que tem o mesmo viés ideológico de vocês. Note, eu não estou chamando nenhum de vocês de maconheiro e vagabundo, nem digo que sua fala de lutar por melhores condições dos laboratórios seja injusta, ENTRETANTO, sendo direto:
Há muito vagabundo e maconheiro que ergue a voz pra dizer a mesma coisa que você está dizendo, sendo que não faz jus nem aos laboratórios que aí estão.

Admito que sua fala é correta, porém, friso que posso atribuí-la com justiça a você e a alguns poucos. O que não dá muita credibilidade a reivindicação perante a opinião pública. PENSO EU.

O que tenta-se fazer é acordar e desacomodar; estamos agindo de modo a não ficar indiferentes à todo este absurdo que vem sendo construído. O foda é que aí a gente observa que existem pessoas que só vão sugar a universidade, sem fazê-la (ou tentar ao menos) crescer, acrescentar algo.

Coisa do tipo, "Dar um tiro na pessoa para ela levantar da cama"?

Esse "pedala robinho sociológico" de vocês conseguiu acordar muita gente. Agora, boa parte dos alunos da unesp não gosta do movimento estudantil, a opinião pública odeia, o serra rí da cara de vocês...

Tudo isso pra ganhar um "ok, eu construo um cingapura pra vocês aqui da unesp, quando der".

Custo benefício absolutamente tosco.

E, também, não compartilho a visão romântica da universidade que vocês prezam. Entrando nela, pegando o seu diploma e saindo dela sem abrir a boca, o aluno pode muito bem dar a sua contribuição para a sociedade depois.



Então, qual o papel das favoráveis à greve? Dificultar esses objetivos. Que ótima conclusão.

Eu já repeti inúmeras vezes, mas, repito de novo.

Parem de se martirizar. Todo mundo já enjoou deste discurso piegas.
Parem com estas sentenças maniqueístas. Há um pouquinho em toda pessoa contra a greve de egoísmo, e há um pouquinho, por mais que vocês tentem esconder, de autoritarismo em todos vocês.

Juntam um monte de argumentos sentimentais, quase metafísicos, genéricos e de fácil aceitação (Nós lutamos contra a injustiça social do país, permeado por políticos corruptos e falcatruas); um apanhado exagerado de ufanismo providos até de um certo niilismo.

Corrente eu, que batizo de "emosocialismo miguxo".

Ninguém é santo aqui. Nem eu, nem vocês.

Contra A disse...

Insisto em convidar o "contra a" para que participe dos Grupos de Discussão e exponha seu ponto de vista a respeito do movimento estudantil.

E eu insisto que relaxe e goze.

ascarso disse...

Tiago,

por que a sua prova é mais difícil que o meu trabalho?
por que não entende que as metodologias de ensino de um curso de humanas para um de exatas são diferentes, mas, não melhores ou piores?
há trabalhos que nos precisamos envolver, ler vários livros, escrever muitas e muitas páginas..vc acha fácil?