quarta-feira, 27 de junho de 2007

Avaliações possíveis do Movimento Estudantil sobre o fim da greve

Entramos na greve com uma pauta de reivindicações séria, que parte das nossas necessidade cotidianas, discutida em assembléia e perfeitamente concretizável.

Precisamos, todos, da humildade de aprender com a História

Em 1999 e 2000, os estudantes da UNAM (Universidad Nacional Autônoma do México) "cruzaram os braços" numa greve de 10 meses, num árduo trabalho de cansar o governo. Estudantes foram presos e reprimidos. A greve, vitoriosa, mobilizou as diferentes classes da sociedade mexicana a favor dos estudantes, considerados heróis da resistência e da denúncia contra um governo opressor das classes mais pobres. Dez meses de greve para serem ouvidos - e libertarem os presos políticos (estudantes) da maior mobilização mexicana dos últimos tempos. A história se repete ou se assemelha muito em diferentes partes do mundo na contemporaneidade, em especial no tocante às formas de repressão nas sociedades democráticas (vejam a ação policial em Araraquara contra os manifestantes).
Talvez por maior consciência política e participação das massas, talvez por estarem em condições materiais piores do que as nossas hoje, os estudantes mexicanos resistiram no tempo mobilizados. E nós, quanto tempo estaríamos dispostos a nos mobilizar para cansar o governo? O quanto isso é ou deve ser prioridade nas nossas vidas?

Professores, funcionários e peculiaridades desta greve

Professores entraram na greve este ano a reboque da ocupação dos estudantes da reitoria da USP. Em Bauru, iniciaram a greve impulsionados pela mobilização estudantil. Saíram da greve com o mesmo reajuste salarial obtido desde o princípio - 3,37%. Os reitores, temendo uma grande greve devido à questão dos decretos, ofereceram de início um reajuste maior que o cogitado pela categoria inicialmente.
Então, em benefício sobretudo dos funcionários, professores reivindicaram 3,15% de reajuste mais uma parcela fixa de R$200. Peculiaridade desta greve e que poucos sabem, a questão salarial não foi o principal ponto dos professores. A briga era pela Universidade pública no Estado, e o estopim foram os decretos do Serra. Talvez esta tenha sido a razão da desmobilização da categoria docente, em sua maioria: a briga não era pelo bolso. Professores da USP aceitaram o Decreto Declaratório e voltaram às aulas. Em Bauru, professores não tiveram suas reivindicações atendidas. E voltaram às aulas devido à pressão dos professores que não estavam sensibilizados com a causa da Universidade no tocante à questão dos decretos.
Funcionários conseguiram um reajuste de cerca de R$30 por mês, para aqueles que ganham R$1000, por exemplo - lembrando que o piso salarial é de R$800.

Baderneiros não cansam, governo não dorme

Quanto aos estudantes do movimento, dois posicionamentos predominaram. Alguns acreditavam que, por mais justa e estratégica que pudesse ser a greve, o Comando de Greve perderia muito mais tempo e energia em tentar persuadir professores e estudantes do campus que não respeitam as Assembléias e furam a greve do que mobilizaria pessoas em torno do que realmente seria importante numa greve: criar estratégias de pressão, organizar atos públicos e negociar com as autoridades. Logo, a greve se faria inviável.
Outros acreditavam que, à medida que não havíamos conseguido o que queríamos de forma satisfatória, não deveríamos deixar a greve.
Na Assembléia Estudantil da última segunda, no entanto, era consenso que, com greve ou sem greve, a mobilização continuaria de outras formas.

Nosso pós-greve e convite à participação dos estudantes

E assim é: os estudantes deixaram a Assembléia já criando novas maneiras de continuar com o movimento. A capacidade de se renovar é fundamental e estamos trabalhando nisso em Bauru e em todo o Estado.
Estaremos em Araraquara amanhã (quinta, 28), para a reunião do Comando Estadual de Greve que vai se transformar, com o eventual fim das greves, no Comando Estadual de Mobilização.
Faremos um flash-mob na próxima terça-feira em Bauru.
Continuaremos atuando com as Comissões (Finanças, Comunicação, Atividades...).

É bom saber

Unicamp, Ourinhos, Rio Claro e USP São Carlos ainda estão ocupados.
A greve estudantil continua em algumas unidades da Unicamp e em alguns campi e cursos da Unesp, bem como na USP São Carlos e USP Ribeirão.

17 comentários:

Kelli disse...

O Nosso governador José Serra esteve em Santa Gertrudes, cidade aki coladinha com Rio Claro... uma repóter da TV Claret perguntou a ele sobre a ocupação na UNESP Rio Claro... sabe o que ele respondeu? Nada a declarar...
Serra mais uma vez provou que diálogo não é seu forte, mais uma vez provou que a única cartilha que ele utiliza é a da repressão a qualquer movimento contrário a suas atitudes...

Maria Fernanda disse...

Esse Flashmob proposto para terça vai ser feito so em Bauru?? Acho que seria interessante pensarmos em outro tipo de ato semelhante, nao igual. Como nao consigo pensar em nada no momento, acho que se formos fazer a mesma coisa deveriamos fazer exatemente igual: avisando as outras universidades mobilizadas para fazer um ato unificado no Estado. Entao precisamos de uma reuniao para organizar as pessoas e os locais (nao sei se seria interessante serem as mesmas ruas)...Avisem qdo vamos nos organizar, onde e que é aberto para todos, quem sabe nao aparece mais gente, né?! E so uma perguntinha, alguem saberia me responder se essa reuniao da congregaçao é aberta?? Como funciona isso?? Obrigada!

GABRIEL RUIZ disse...

Kelli, o fóda é que nisso ninguém presta atenção. Daqui a pouco já esqueceram.

Jeferson disse...

Gostaria de deixar algum pensamento para que no futuro quando for proposto algo tão drástico quanto a greve pense antes em outras possibilidades. Por que um greve no metro em Saõ Paulo dura apenas algumas horas e uma greve em uma Universidade pública dura tanto tento. Quando ocorre uma greve no setor metroviaviário grande parte da populção é atingida , ou seja, o metro é essencial para a população, pressionando assim o estado. Mas e a Unesp é essencial pra quem? A Usp teve algumas reivindicações atendidas e depois deixou as universidades que havião parado a mercê e por que lá foi atendido as propostas? Será que não tinha um jornal publicando suas notícias? Entaum eu peço antes de querer fazer uma greve com notícias publicadas no Jornal da Cidade, pense bem, e faça algo que interligue as três faculdades e naum crie uma richa um tanto quanto infantil.

daniel disse...

bom eu naum sei se todos viram o estado que ficou a reitoria da usp em sp...
me vem a pergunta na cabeca: Será que o pessoal do comando de greve quer ser comparado a esse tipo de gente? (que destriu salas, pixou paredes, furtou computadores e etc) e que de fato serão...
bom com certeza vcs grevistas dizem que as pessoas que participaram da greve naum devem sofrer nenhum tipo de repressão, ate ficaram gritando aquela babaquisse pra coitada da profª que nem tinha falado nd d mais "nao nao nao, nao a repressão" e a td momento ficam tentando por em votacao a nao repressao dos culpados, bom me vem outra pergunta (que de fato estou cheio delas) vcs acham que o pessoal que fez aquele furacao dentro da reitoria naum devam ser repreendidos e punidos? bom se a resp for sim ainda ha uma luz no fim do tunel, agora se for nao temo que isso abra um precedente aterrorizante. primeiro sera capaz de entrar-se em qualquer lugar publico quebrar o que se acha q deve (imaginem as suas salas d aula e os comp que vcs utilizam nos laboratorios)e furtar aquilo que lhe agrade, diz-se em nome d qq movimento e naum se é punido, apos isso passa-se para para parte pessoal, entrase na casa d qq pessoa e faz-se o mesmo, logico tmb sem nenhuma punição, apos isso crimes ediondos e td mais
bom eu acho q é hora d botar a mao na consciencia e pensar REALMENTE no futuro
logo no inicio da greve em uma das assembleias eu conversava com o turollo e lhe fiz uma pergunta " vc acha certo terem quebrado o portao e a porta da reitoria para ocorrer a ocupação?" a resposta "se for em nome de uma causa e um bem maior eu acho CERTO QUEBRAREM NAO SO A PORTA" apos isso eu desisti d tentar entender a cabeca dos grevistas!!
fim

Bruno Espinoza disse...

Eu não participei do outro flash-mob, mas pretendo participar deste agora. Queria saber se na terça haverá alguma concentração, onde as pessoas se encontram?

Obrigado!

Priscila disse...

Também gostaria de saber se a reunião da Congregação é aberta. Se for, a que horas será realizada? Valeu!

gazaga disse...

SE GREVE NAO É FERIAS, ENTAO EU ESTAVA TENDO AULA, JA QUE EU NAO TRABALHO. SE EU ESTAVA TENDO AULA QUANDO VAI SER MINHAS FERIAS??????

ou entao,

pros badernos da faac greve nao é ferias, entao semana que vem eles vao estar de ferias isso é igual a sossego na faculdade!!!

PARABENS ENGENHARIA!!!!!!

Carol disse...

Para pensar...

"Multidões desses miseráveis
Tomarão as ruas e pisotearão os jardins
E estarão certos!
Farão das bibliotecas abrigo
E queimarão livros para aquecer do frio
E estarão certos!
Odiarão nossas leis, nossa arte, nossa justiça
A que nunca tiveram acesso
E estarão certos!
Porque toda nossa civilização,
Toda sua poesia, Virgílio,
Toda nossa Ciência, Arte, Filosofia
Não lhes deu um grama a mais de gordura ao corpo
Um dia a mais de esperança à alma"
Luís Alberto de Abreu

Turollo disse...

Oi Daniel,
desculpe por não me lembrar da nossa conversa, mas eu reafirmo essa idéia.
Numa análise de alguém que está construindo o movimento, posso lhe afirmar que a violência praticada pelos governos que, depois de eleitos, cortam as relações com a base popular (é o que o Lula faz no governo federal, também) é maior que a violência de se quebrar uma grade.
Os prejuízos que a Universidade poderia ter, em médio prazo, com os decretos iniciais (que incluíam, por exemplo, a proibição de contratação de pessoal e o incentivo às pesquisas operacionais, pra citar dois dos itens alterados pelo Decreto Declaratório) jamais poderiam ser calculados. O prejuízo de se consertar uma grade, uma porta, pintar algumas paredes, pode ser calculado, parece muito grande, mas não é nada se comparado à política do Serra que destrói bens públicos sem discutir com os contribuintes.
Quanto aos supostos roubos, são lamentáveis e desnecessários. Não acredito que tudo o que ainda vai ser falado sobre furtos será verdade. A reitora, a polícia, o governo e a imprensa vão, de agora em diante, trabalhar firmemente na destruição da imagem de um movimento vitorioso.
E, se bem conheço essas autoridades, sei que são capazes de mentir o quanto for necessário.
Quanto ao que realmente desapareceu, tenho certeza que foram atos isolados de oportunistas (estudantes mesmo) que se aproveitaram da situação pra roubar.
Não acredito que as pessoas envolvidas na questão política da ocupação e que estavam lá dando o sangue fariam isso.
De qualquer forma, deveriam ter fechado melhor as salas onde esses objetos estavam guardados.

obs: quando na TV mostram salas com materiais empilhados, é pq os estudantes que realmente participavam da ocupação não queriam que eles fossem utilizados.
Por isso trancaram tudo numa sala só.

Kelli disse...

Ahhh gente sempre teme sperança neh!
Acredita q a EPTV daki fez uma matéria bem legal sobre o ato em araraquara... mais que isso fez uma retrospectiva (sem mentiras) bem legal pro jornal dake!!! mto diferente da TV Tem!!

Kelli disse...

Daniel,
Primeiro que não teve nda de furacão dentro da reitoria... na boa nós estivemos la mais de uma vez acho que você sabe disso e posso te garantir que era realmente mto bem organizado de resto o turollo falou tudo..
E qt a coitada da professora... meu os professores mandam e-mail convocando as pessoas para ir na assembleia e votar contra... depois chega na assembleia e ameaça a gente? na boa isso eh oq se n eh repressão?
Por favor galera... vamos refletir um pouco sobre o que está sendo dito aki... aliás sobre o que está sendo dito aki não... vamos conversar mais la na unesp... eu e todo mundo que participou dessa greve esta sempre disposto a esclarecer dúvidas e conversar, seja qual for a opinião de cada um de vocês...
Bom estou me disponibilizando para qualquer conversa desde de já!

Kelli M. Franco
2 ano de jornalismo noturno
e-mail: kell.franco@gmail.com

GABRIEL RUIZ disse...

Também estive na ocupação da USP. Óbvio que várias coisas saíram de seus lugares, houve prejuízos. Entretanto, a pauta de reivindicações deles foi atendida.
Penso lenso o comentário do Jefferson que a única saída é a ocupação. E isso não é uma piada. Foi somente assim que Araraquara conseguiu dialogar com o reitor.
Se não houver compromisso das partes em bauru até agosto, setembro, sou ultra a favor da ocupa. Alguém terá que nos ouvir.

Quanto a prof. Rosa Maria, ela já teve a resposta que mereceu (enviei uma carta pro JC a respeito do absurdo) por chamar a assembléia de porcaria. Quem quiser ler, é só clicar no meu blogue.

valeu, abraços

Lud R. disse...

sobre o calendário:

eu acabo de sair da reunião da congregação da FC e já enviei e-mails a muitas pessoas e pedi que repassassem. Seu conteúdo:

2a REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA/ 2007 – CONGREGAÇÃO - FC

Foram tratados os pontos de pauta:
1. CALENDÁRIO ESCOLAR – GRADUAÇÃO
Foi aprovada a proposta de calendário com início das aulas para o dia 02/07 (segunda-feira) e início de férias para 06/08 (segunda-feira) até dia 18/08. Dessa forma, serão duas semanas de férias em agosto (período em que serão feitas matrículas, adequações e confirmações). Além disso, também NÃO haverá necessidade de aulas em janeiro. Com relação às férias dos docentes e idas a Congressos, viu-se a possibilidade de serem tratados caso a caso.
2. REPRESENTAÇÃO DOCENTE JUNTO AO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNESP
Foi aprovada por unanimidade a realização de eleição para representante docente da FC junto ao Conselho Universitário (votam somente docentes).
3. CALENDÁRIO DE REUNIÕES ORDINÁRIAS DA DOUTA CONGREGAÇÃO DA FC
A próxima reunião da Congregação ocorrerá no dia 05/07.

Observações:
Com relação ao ponto 1, eu fiz uma fala registrada, a ser disponível no site: www.fc.unesp.br – administração – congregação – pautas. O acesso será disponível por meio de senhas, porém me comprometo a disponibilizá-la no blog, ou por e-mail, se alguém solicitar.
A fala foi no sentido de defesa dos interesses dos estudantes. Primeiramente coloquei que, por não ter sido feita uma Assembléia de discentes, para que se tirasse uma proposta de calendário, eu não entendia como viável fazer qualquer proposta que representasse a maioria dos estudantes. Entretanto, que era necessária a reposição de aulas com qualidade, o que inclui o conteúdo programado para o semestre. Além disso, que as aulas que foram dadas no período de greve (incluindo os dias: 20, 21, 22 e 23 de julho), possíveis trabalhos e avaliações, também sejam dadas novamente, bem como que sejam retiradas as faltas dos alunos que não foram a essas aulas. Solicitei um compromisso oficial dos congregantes com relação a isso.
O que me foi dito, e ainda confirmei antes de passar aqui a informação, foi que:
- nenhum professor, pelo menos da FC, pensa em não repor as aulas perdidas (e que isso será cobrado em cada departamento), além disso, o calendário aprovado prevê tal reposição;
- sobre a questão das faltas e prejuízos com relação a provas e trabalhos aplicados em período de greve, o que pode ser feito é os alunos entrarem com recurso, pois assim, passaria pela coordenadoria do curso, pela comissão de ensino e pesquisa e por fim, se chegaria à Congregação.
NÃO FIQUEI SATISFEITA COM RELAÇÃO A ISSO E COLOQUEI QUE ENTENDO SER PAPEL DO DIRETOR PRESSIONAR ESSES PROFESSORES PARA QUE NÃO PREJUDIQUEM SEUS ALUNOS. O DIRETOR, PROFESSOR DR. HENRIQUE, COLOCOU ENTÃO QUE ESSA POSTURA SERIA IMPOSITIVA E QUE TRATA-SE DE UMA QUESTÃO ÉTICA, EM QUE OS PROFESSORES E ALUNOS DEVERIAM ENTRAR EM ACORDO E QUE, CASO ISSO NÃO SEJA POSSÍVEL, QUANDO O RECURSO CHEGAR À CONGREGAÇÃO SERÁ ANALISADO. OS DEMAIS PROFESSORES ENTENDEM QUE O PROFESSOR TEM AUTONOMIA PARA IR CONTRA AS DELIBERAÇÕES DE ASSEMBLÉIA, EMBORA ISSO SEJA ANTI-ÉTICO E QUE OS ALUNOS QUE ENTRAREM COM RECURSO PODEM SIM SER ATENDIDOS. O QUE EU POSSO DIZER É QUE ESTOU PRESENTE NA CONGREGAÇÃO E DEFENDEREI ESSAS PESSOAS E NÃO ME PARECE QUE TERÃO QUALQUER PREJUÍZO, TENDO EM VISTA A POSTURA DO DIRETOR (MAIS FLEXÍVEL). ENTRETANTO, O QUE ME PREOCUPA É O QUE PODE ACONTECER COM OS ALUNOS DAS ENGENHARIAS, PENSO QUE DEVAM SIM ENTRAR COM RECURSO E PRESSIONAR SEUS PROFESSORES PARA QUE REAPLIQUEM OS TRABALHOS E PROVAS QUE POSSIVELMENTE TENHAM PERDIDO, AGORA, NÃO SEI SE NA CONGREGAÇÃO DA FEB. HAVERÁ ACORDO OU DISCUSSÃO POSITIVA...

Os professores não concordaram com a postura da FEB de realizar um calendário à parte. Disseram ter chamado uma reunião conjunta, mas que os professores das engenharias negaram veementemente, alegando já estarem com seu calendário pronto (isso porque já estão dando aulas, mesmo tendo sido a maioria dos votos pelo retorno às aulas na segunda-feira dos estudantes de engenharia). Diante disso, foi redigida uma manifestação, a ser entregue à Congregação da FEB., contrária a sua postura.
Com relação ao ponto 2 da pauta, me fez pensar na necessidade de termos representação discente no C.O. (temos que discutir isso).
Sobre o ponto 3, entreguei uma carta ao diretor, Prof. Dr. Henrique, solicitando inclusão de pauta (segue em anexo). Sua resposta foi positiva, portanto os dois pontos, por mim solicitados (moradia e laboratório de Biologia), serão tratados na próxima reunião da Congregação.
No mais, está prevista a vinda do Sr. Reitor Macari para a semana que vem. Nós estudantes estamos convocando uma reunião aberta, com os diretores e reitor, em que alunos terão direito a fala, para que possamos defender o início da construção da moradia. O Henrique disse que se posicionará a favor.

Lud R. disse...

Está desconfigurada, mas a seguir está a carta que enviei para o diretor da Fc:



UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA – UNESP Bauru
FACULDADE DE CIÊNCIAS - FC






Bauru, 28 de junho, de 2007.




Ilmo. Sr.:

Venho por meio deste, solicitar inclusão de pauta para a 135a reunião ordinária da Congregação, tendo em vista a necessidade premente de um posicionamento da diretoria da Faculdade de Ciências com relação à construção da moradia estudantil. Sabe-se que a discussão sobre permanência estudantil foi reiniciada com o CRUESP e que, portanto deve haver uma manifestação do senhor diretor nesse sentido, uma vez que ocupa um cargo que lhe permite defender o início da construção junto ao C.O.
Outro ponto de pauta que venho propor é de cunho administrativo, relacionado à melhoria do curso de graduação de Biologia: proposta de utilização do recurso disponibilizado pela Reitoria da Unesp, através do Programa de Melhoria do Ensino de Graduação, para a realização dos reparos necessários do laboratório desse curso.









Ludmilla Rubinger Bethonico Freiria
(membro da congregação)







Ilmo Sr.:
PROF. DR. HENRIQUE LUIZ MONTEIRO
PRESIDENTE DO GAC

gazaga disse...

PARABÉNS PROFESSORES DA FEB.............NAO VAMOS NOS MISTURAR COM A FAAC E FC...CALENDARIO SEPARADO............................PARABÉSN./...MAIS UMA VEZ A ENGENHARIA MANDANO BEM

daniel disse...

turollo,
colocar a justificação dos atos ocorridos no serra e seus decrtos, do jeito que vc disse, me aparenta ser uma politica do olho por olho; fazendo uma analogia com pessoas e forcando um pco a barra, se alguem mata um conhecido seu, isso te da o direito de espancar o assassino(repare q eu nem inverti a ordem de grandeza pq eu sei que os desmandos do serra acabarao prejudicando msm), ou se alguem mutila em uma pessoa isso te da o direito de ir lah e bater mais um poquinho pra mostrar que mutilar eh errado...me desculpe mas eu naum consigo entender esse tipo de logica. como eu ja havia dito para vc, eu naum sou contra mobilizacoes para reinvindicar as coisas em nome da universidade, eu soh acho que isso deveria ser vontade de qualquer pessoa e naum uma imposicao para tds como fazem os movimentos grevistas, para mim imposicoes como as de vcs vaum contra a ideologia democratica.

kelli,
sobre o q aconteceu na reitoria, me desculpe a ignorancia, infelizmente as unicas fontes de informacao que eu tinha era jornais e telejornais e tds diziam praticamente a mesma coisa, portanto naum posso dizer mais nd se houve ou naum uma zona e furtos lah dentro apesar de ainda acreditar na veracidade dos fatos relacionados.

obs.: eu nem gosto muito de ficar nesse fala-fala pq eu vejo uma dificuldade num entendimento, entao se eu estiver sendo inconveniente e chato por favor me digam!
Obrigado!