sexta-feira, 1 de junho de 2007

Jornalismo para quem?

O site G1, da velha Globo, publicou declarações do Secretário de Justiça e Defesa da Cidadania, Luiz Antonio Guimarães Marrey, que destorciam a intenção do ato em defesa do ensino público. No G1 vê-se que segundo o secretário, "Este movimento é um movimento radicalizado, de cunho autoritário", e que "O que não será respeitado é o direito de rasgar o direito de milhões de paulistas e paulistanos a sua tranqüilidade, a não ver o caos nesta cidade, por alguém que, na verdade, não tem uma visão clara e que a cada dia aumenta um item em uma pauta impossível de ser cumprida". A matéria sugere implicitamente que a passeata atrapalhava o tráfego, mas não informava que, se a passeata pudesse prosseguir não haveria congestionamento.

Apesar de a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ter sido avisada previamente, quem conduziu a passeata foi a PM, que bloqueou a passagem das pessoas presentes no ato, impedindo-as de seguirem até o Palácio dos Bandeirantes. Era óbvio que isso causaria um caos no transito da capital. A partir disso, uma dúvida paira sobre as nossas cabeças: não seria essa uma maneira de colocar a população contra os estudantes?

É bom lembrar que nenhuma pessoa que participava da passeata foi ouvida pela reportagem do G1

2 comentários:

Patricia disse...

A globo como sempre manipulando, aliás estranho seria se fosse diferente! um adendo: movimento autoritário???? e decreto então é o q?

Pitty

Gustavo disse...

Não receber os manifestantes e fechar a rua com a polícia foi uma atitude muito "democrática", não?